em

"Pisando no ego" O rap como forma de protesto

  Inicialmente conhecida pelo seu hit "machistas não passarão", Mana Black marca presença nos mais diversos eventos culturais da cidade goiana, como: Chorinho do Grande Hotel, Batalhas de Rap e Festivais culturais. Além de se apresentar também em casas noturnas e bares da cidade. A música fala sobre o racismo e o preconceito sofrido por pessoas negras no dia a dia, fala também sobre corrupção e opressão policial. 

"Um dos acontecimentos mais marcantes da minha trajetória até aqui foi uma abordagem que sofremos durante a gravação do clipe "Pisando no ego" que é um clipe que fala sobre o racismo e o preconceito sofrido pelo negro no dia a dia,, fomos todos desrespeitados por sermos  em maioria negros exceto o nosso produtor, homem e branco." Disse Mana Black em uma entrevista.

O clipe usa e abusa de elementos urbanos em sua composição como o grafiti e paisagem.

Disponível no youtube e nas redes sociais

https://www.youtube.com/watch?v=v8m-QItG5ro

Siga nas redes sociais:

instagram: @maizapamela

facebook: maizapamela/manablack

Contato: maizapamela@outlook.com

Deixe um comentário

GIPHY App Key not set. Please check settings

“Anatomia do Imaginário” Pinturas e desenhos de Vinícius Figueiredo

Evoé Café com Livros, um quintal de cultura.